Arquivo mensais:agosto 2013

Papinha Completa

Por: Mayra A.

papinha post

Receita do nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem?”, foto Carol Milano

Com essa receita básica você pode criar infinitas variações, substituindo os ingredientes por outros do mesmo grupo.

Ingredientes

1 colher (café) de óleo de canola (ou azeite de oliva)
¼ de cebola picada em cubos150 g de peito de frango, sem pele, em cubos (ou outro ingrediente do grupo A)
1 xícara de espinafre, lavado e picado (ou outro ingrediente do grupo B)
½ xícara de mandioquinha lavada e descascada em cubos (ou outro ingrediente do grupo C)
¼ de xícara de ervilha fresca (ou outro ingrediente do grupo D)
1 colher (café) de salsinha picada (ou outra erva fresca de sua preferência)

Modo de Fazer

Aqueça uma panela e coloque o óleo de canola.
Adicione a cebola e o músculo e refogue até dourar.
Adicione os demais ingredientes e cubra com 2 xícaras de água.
Cozinhe com tampa, em fogo baixo, até que todos os ingredientes estejam macios.
Retire a carne e amasse a papinha até a consistência adequada.

Rendimento: 400g
Tempo de preparo: 30 minutos
Dificuldade: Fácil

Dicas

Se não encontrar ervilha fresca, o melhor é substituí-la por ervilha congelada ou outra leguminosa fresca. Não aconselhamos o uso de ervilha (nem nenhum outro ingrediente) em lata.
Se for usar azeite extravirgem, acrescente-o apenas na hora de servir a papinha. Nesse caso não doure a cebola e o músculo, apenas junte todos os ingredientes e cozinhe na água.
Seguem abaixo nossas combinações favoritas para a papinha “completa”.
Não é necessário que todas as papinhas contenham ter alimentos de todos os grupos. Este é apenas um guia para uma refeição mais completa.

– frango + mandioquinha + espinafre + manjericão
– frango + vagem + mandioquinha + cebola + sálvia
– carne + cenoura + lentilha + cebolinha-verde
– peixe + batata-doce + espinafre + cebola
– brócolis + mandioca + soja + cebola + manjericão
– carne + beterraba + batata + cebolinha-verde
– frango + couve-flor + grão-de-bico + cebola + hortelã
– gema de ovo + chuchu + inhame + salsinha
– peixe + acelga + aspargo + cará + cebola
– carne + abóbora + mandioquinha + espinafre + cebola
– gema + clara de ovo picada + cenoura + couve-de-bruxelas
– frango + folha de beterraba + feijão + cebola + salsinha

Use sua criatividade e crie suas próprias receitas!

 


Comentários :1

Comente

Cookie de Aveia

Por: Mayra A.

COOK DE AVEIA

Receita inspirada no livro de receitas da escola Vera Cruz, foto Carol Milano, ilustração Tiago Soarez

Cookie de Aveia post


Comentários :2

Comente

Mayra

Por: Equipe Mayra A.

Mayra Abbondanza

Sou engenheira de alimentos e cozinheira, além de mãe de quatro filhos: Pedro (14), Julia (12), Francisco (7), Felipe (5) e León.
Escrevi o livro “O que fazer para meu filho comer bem?” e “DÊXA EEUUU!!!” e participei do reality show “Meu filho não come”, do programa Bem Estar, da TV Globo, e da série “Terra Brasil”, no Animal Planet e Netflix.
Idealizei os jogos educativos “Desafio do Prato” e “O que temos para hoje” e o aplicativo “Lanchinho Legal” que incentiva a educação alimentar das crianças e facilita a rotina alimentar das famílias.
Fui co-fundadora da Dedo de Moça, uma consultoria e escola de culinária em São Paulo e trabalhei durante 5 anos atendendo mais de 500 famílias em domicílio e discutindo as questões reais do cotidiano de quem precisa alimentar crianças.
Hoje, aplico minha experiência multidisciplinar com a minha empresa B certificada de consultoria em alimentação infantil consciente para uma geração mais saudável, tanto para marcas ligadas ao universo culinário, como também para famílias.

Screen Shot 2014-03-25 at 15.26.49

 

 

 


Comentários :

Comente

Receitas ilustradas

Por: Equipe Mayra A.

Convidamos o Tiago Soarez para ilustrar algumas receitas da Dedinho de Moça, e não é que ficou o máximo?
Cookie de Aveia postA foto da receita pronta, para quem quiser ver como fica, está aqui.

Bom apetite!


Comentários :

Comente

Arroz Carnavalesco

Por: Equipe Mayra A.

arroz

Receita do nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem?”, foto Carol Milano

Ingredientes

¼ de xícara de ervilha fresca
1 colher (sopa) de manteiga (pode ser substituído por azeite ou óleo de canola)
1 colher (sopa) de cebola em cubos pequenos
2 ovos
1 colher (café) de azeite de oliva extravirgem
½ xícara de presunto em cubos pequenos
2 colheres (sopa) de cebolinha fresca, picada
2 xícaras de arroz integral cozido (aproximadamente 1 xícara de arroz cru)
1 colher (sopa) de molho de soja light (shoyu)
sal

Modo de Fazer

Cozinhe rapidamente as ervilhas no vapor, ou se preferir, numa panela com água e sal.
Retire-as da panela e despreza a água. Passe-as na água fria para interromper o cozimento e manter um verde bonito e reserve.
Numa frigideira ou panela grande, derreta a manteiga e refogue a cebola.
Quebre os ovos e cozinhe-os como ovos mexidos numa frigideira com o azeite. Corte para que fiquem em pedaços pequenos.
Junte o presunto, a cebolinha, a ervilha e o arroz e tempere com 1 o molho de soja e sal.

Rendimento: 4 a 6 porções
Tempo de preparo: 20 minutos
Dificuldade: fácil

Dica

Os legumes coloridos fazem as crianças (e os adultos) comerem com os olhos. Aproveite!
Prepare o arroz integral como de costume e reserve 2 xícaras para usar nessa receita.

 

 


Comentários :

Comente

Como preparar a papinha?

Por: Equipe Mayra A.

Muitas mães ficam em dúvida na hora de preparar as papinhas de seus bebês. Publicamos aqui um trecho do nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem?” para ajudá-las. O livro, modéstia a parte, está super caprichado e tem diversas receitas de papinhas. Para mais informações clique aqui!

Como preparar a papinha

O método de cozimento mais saudável é o vapor. Para preparar legumes em pedaços quando o bebê já puder mastigar, usaremos sempre esse método.
No caso das papinhas, a tendência é colocar tudo numa panela com água para cozinhar, certo?
Como faremos papinhas grossas e não sopas ralas, não precisamos colocar muita água, e os ingredientes não precisam ficar completamente submersos. O ideal é colocar apenas um pouco de água, o suficiente para dar no final a consistência de purê, e tampar a panela. Após atingir a fervura, é só baixar o fogo e manter a panela tampada. O recipiente se encherá de vapor, que cozinhará os ingredientes. Se necessário, adicione mais água durante o cozimento.
Para as frutinhas, é só amassar (banana, mamão, abacate) ou ralar (maçã, pera). Algumas frutas difíceis de serem raladas podem ser previamente cozidas ou processadas cruas no liquidificador (com o mínimo possível de água). Isso serve para pêssego, damasco, ameixa, abacaxi, uvas etc.
Uma forma rápida de fazer papinhas é ter sempre os caldos (de frango, carne etc.) prontos e congelados. O mais demorado, que é o cozimento das carnes, já estará feito!
Assim você poderá cozinhar os ingredientes dos grupos B, C e D no caldo e ter um papinha pronta em poucos minutos.

Screen Shot 2013-10-01 at 09.53.49

(imagens retiradas do nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem”, mais informações aqui)

Papinha “completa”

Receita completa + dicas aqui.

papinha post

Consistência da papinha

De acordo com o Manual de Orientação do Departamento de Nutrologia da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) “A papa deve ser amassada, sem peneirar ou liquidificar, para que sejam aproveitadas as fibras dos alimentos e fique na consistência de purê. A carne, na quantidade
de 50 a 70 g/dia (para duas papas), não deve ser retirada após o cozimento, mas sim picada, tamisada (cozida e amassada com as mãos) ou desfi ada, e é fundamental que seja oferecida à criança (procedimento fundamental para garantir a oferta adequada de ferro e zinco). Aos 6 meses, os dentes estão próximos às gengivas, o que as torna endurecidas, de tal forma que auxiliam a triturar os alimentos.
A consistência dos alimentos deve ser progressivamente elevada, respeitando-se o desenvolvimento da criança e evitando-se, dessa forma, a administração de alimentos muito diluídos (com baixa densidade energética) para propiciar a oferta calórica adequada. Além disso, as crianças que não recebem alimentos em pedaços até os 10 meses apresentam, posteriormente, maior difi culdade de aceitação de alimentos sólidos.

Já escrevi aqui sobre como conheci a Priscila Maximino, que hoje é a nutricionista da Dedinho de Moça. Ela discorda do uso da peneira e/ou liquidificador, pois tendem a fazer uma papinha mais líquida.

Priscila explica assim: “Ingredientes mais duros não devem ser batidos no liquidificador quando existe um bebê na casa. A carne deve ser desfiada para o pequeno, e não batida. O mesmo vale para vegetais. Bater a comida com a intenção de facilitar o processo de passagem para a alimentação sólida só atrapalha a transição para a comida mais adulta. Sabemos que isto é polêmico, até entre os diferentes pediatras, mas na nossa experiência, facilita as coisas posteriormente para as mães. A papa liquefeita ou peneirada de forma exagerada, escorrega pela garganta adentro e não permite o contato com as papilas gustativas. O resultado é que a criança não distingue bem nenhum sabor nem textura. Seu paladar acaba prejudicado, e a capacidade de perceber nuances de sabores pode sair perdendo para o resto da vida, justamente porque o desenvolvimento deste sentido depende da estimulação de células receptoras espalhadas por toda a boca, especialmente na língua. Por isso, amasse hortaliças e grãos com um garfo e e vá oferecendo pequenas porções. Com o passar do tempo as preparações podem ficar mais, digamos, pedaçudas. Explico esta questão com mais detalhes no meu livro: “Guia descomplicado da alimentação infantil”.
Então pessoal, melhor usar o garfo e amassar mesmo! Bom apetite!


Comentários :1

Comente

Revista Ícone – 08/13

Por: Equipe Mayra A.

Já falamos aqui do livro sobre alimentação infantil que escrevemos, né? Neste mês fomos entrevistadas pela Revista Ícone e o resultado ficou muito legal. Leia abaixo, na íntegra, a entrevista ou clique aqui.

Por que escrever sobre culinária para crianças? 

Já atendemos mais de 300 famílias em domicílio e percebemos que as pessoas repensam a própria alimentação quando têm filhos, pois querem oferecer opções saudáveis e um bom exemplo. Percebemos também que não haviam muitos livros brasileiros que abordassem o tema e, como temos nossa experiência como mães e cozinheiras, achamos que tínhamos história pra contar.

Como ajudar as crianças a desenvolverem bons hábitos alimentares?

A melhor maneira é oferecer alimentos saudáveis, dar o exemplo, comer com os filhos sempre que possível, ter paciência e saber que hábitos saudáveis se constroem no decorrer de uma vida, não é algo que traz resultados imediatos.

O que fazer quando eles se recusam a comer?

Se o seu filho está crescendo bem e não tem deficiências nutricionais não há motivo para se preocupar. É preferível que seu filho coma menos do que seja forçado a comer e este momento da refeição se torne um martírio.

Qual a principal queixa dos pais em relação à alimentação das crianças?

Os pais dizem que os filhos comem pouco, mas muitas vezes o problema está na expectativa dos pais ou, então, em alimentos sabotadores que são dados antes das refeições.

Qual a dificuldade das crianças em aceitarem determinados alimentos? Como mudar isso?

Basicamente, cabe aos pais insistir e ter paciência. Normalmente a criança leva muitas tentativas para aceitar um alimento novo.

Cardápios semanais podem ajudar de que maneira na alimentação das crianças?

Eles ajudam a organizar a alimentação da casa como um todo e permitem maior variação dos pratos já que, sem programação, as pessoas costumam fazer sempre as mesmas coisas.

Em quais alimentos os pais devem investir?

O ideal é apresentar o maior número de alimentos possível durante os primeiros anos para expor a criança a diferentes sabores e desenvolver o paladar.

Quais evitar?

Mel é um alimento desaconselhado antes da criança completar 1 ano de idade devido ao risco de estar contaminado pela bactéria que causa o botulismo. O mesmo vale para os embutidos e as conservas. Leite de vaca comum também é desaconselhado para crianças nessa faixa etária. Ovos são potencialmente alergênicos, por isso, apenas por volta dos 6 meses de idade introduza 1/4 de gema bem cozida no cardápio do bebê e depois vá aumentando gradualmente a quantidade até chegar a 1 gema, três vezes por semana. A clara deve ser introduzida mais tarde, entre 7 e 9 meses. Fique atento ao introduzir alimentos ácidos como tomate, por exemplo, que podem provocar assaduras. Alguns pediatras recomendam o consumo de peixes e frutos do mar após o primeiro ano de idade. Sugerimos oferecer à criança apenas um ingrediente novo por dia, dessa maneira será mais fácil identificar possíveis cólicas, alergias e indisposições. Em caso de dúvidas, consulte o pediatra do seu filho.

E aqui você pode conferir a receita do arroz carnavalesco que está no nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem?”.

Arroz Carnavalesco

Ingredientes

1/4 de xícara (chá) de ervilha fresca

1 colher (sopa) de manteiga (pode substituir por azeite ou óleo de canola)

1 colher (sopa) de cebola em cubos pequenos

2 ovos

1 colher (café) de azeite de olíva extravirgem

1/2 xícara (chá) de presunto em cubos pequenos

2 colheres (sopa) de cebolinha fresca picada

2 xícaras (chá) de arroz integral cozido (aproximadamente 1 xícara de arroz cru)

1 colher (sopa) de molho de soja light (shoyu)

Sal a gosto

 

Modo de Preparo

1. Cozinhe rapidamente as ervilhas no vapor ou, se preferir, numa panela com água e sal. Retire-as da panela e despreze a água.

2. Passe-as na água fria para interromper o cozimento e manter um verde bonito. Reserve.

3. Numa frigideira ou panela grande, derreta a manteiga e refogue a cebola. Quebre os ovos e cozinhe-os como ovos mexidos numa frigideira com azeite. Corte para que fiquem em pedaços pequenos.

4. Junte o presunto, a cebolinha, a ervilha e o arroz e tempere com molho de soja e sal.

DICA

Os legumes coloridos fazem as crianças (e os adultos) comerem com os olhos. Aproveite! Prepare o arroz integral como de costume e reserve 2 xícaras para usar nessa receita.

 

Rendimento: 4 a 6 porções

Tempo de Preparo: 20 minutos

Dificuldade: Fácil


Comentários :

Comente