Arquivo mensais:maio 2014

Escolinha Walita 2a fase: Comida saudável e gostosa desde a infância

Por: Mayra A.

Depois do sucesso da 1a fase, começamos a 2a fase do projeto Escolinha Walita, que tem como tema a comida gostosa e saudável que preparamos para os nossos pequenos, criando bons hábitos desde a infância. Espero que estejam acompanhado no instagram a nossa deliciosa convivência com a comunidade de Heliópolis. Segue abaixo alguns momentos, que ficaram na nossa memória e nos nossos corações:

Abaixo mais vídeos para vocês. Nós adoramos, e esperamos de coração que este material ainda sirva para influenciar positivamente a alimentação de diversas famílias!

Aula 5: Comida de criança e comida de adulto
Aula 6: Como reduz açúcar e sal
Aula 7: Gostosuras feitas em casa
Aula 8: Escolhas conscientes

Teremos ainda a terceira fase do projeto, na qual manteremos a mesma abordagem infantil, com temas como “Cozinhando para meu filho usando a cesta básica”.

Espero que gostem!

Um abraço, Mayra, Priscila Maximino e Thabata


Comentários :

Comente

Food Revolution Day

Por: Mayra A.

Jamie Oliver criou o Food Revolution Day para que pudéssemos valorizar a comida de verdade, preparada em casa, e incentivar as crianças a comerem melhor, criando toda uma geração mais consciente e saudável. A iniciativa já envolve 74 países.
A nossa equipe mostra pela primeira vez aqui, em homenagem à esta causa, sua Mini Banca de Frutas.
Acreditamos que iniciativas como esta irão reescrever a história da alimentação infantil!
Traga seu filho para conhecer nossa divertida mini banca, que faz seu debut dia 22/05 na feira Baby Bum, em parceria com o Sítio Boa Terra, pioneiro em fornecimento de alimentos orgânicos. Mais informações aqui.

#porumageracaomaissaudavel #pequenosnacozinha

banca post
jamie1jamie2


Comentários :

Comente

Como ser uma boa mãe?

Por: Mayra A.

Toda mãe sente o tal do amor incondicional. Simplesmente por isso nenhuma mãe deveria ser julgada… Estamos sempre tentando fazer o melhor para nossos filhos, certo? Será?
Quando nasce um filho nasce uma mãe, e com ela as dúvidas e a culpa. Será que sou boa o suficiente?
Primeiramente quero dizer que ser mãe foi a melhor coisa que já aconteceu comigo, tanto que quis repetir outras 3 vezes. Mas cá entre nós, quando cantamos o primeiro parabéns para o nosso filho, estamos, lá no fundo, cantando parabéns para nós mesmas por termos sobrevivido a esta avalanche-terremoto-tsunami que passou por nós no ano que se passou. Será que fui só eu que pensei isso?
Hoje, depois de 4 filhos, confesso que olho para as grávidas de primeira viagem com uma certa compaixão. Penso: ela não tem I-D-É-I-A do que vai acontecer. Para o bem e para o mal. Ela nunca mais vai desligar o celular e ao mesmo tempo nunca mais será a mesma depois que ver a apenas ver pela primeira vez, por um breve segundo, a carinha linda do seu bebê.
Os melhores momentos que tenho hoje, são aqueles que incluem a família toda. Me sinto flutuando de felicidade nos momentos diários em que estamos todos juntos. Parece que o mundo pára de girar e tudo parece fazer sentido.
Ao mesmo tempo, para ser uma boa mãe sinto que tenho que estar O TEMPO TODO REMANDO CONTRA A MARÉ. Cansa muito, muito, muito, muito mesmo. Ser uma mãe mais ou menos seria muito mais fácil. Para ser uma mãe mais ou menos, eu não precisaria nem levantar e também não teria que argumentar ou contrariar os meus filhos. E eles argumentam, viu? O Pedro, meu mais velho de 9 anos, leva 15 minutos para se convencer de qualquer mísera coisa.
Hoje em dia acho que temos alguns desafios a mais: o consumismo excessivo e a tecnologia amplamente disponível, que é um vício até para nós. Como ensinar nossos filhos a usar o que a geração oferece, sem excessos?
O meu objetivo com este texto é compartilhar e tentar incentivar as mães a percorrer o caminho mais difícil. Não precisa ser radical, é só educar. Simples de dizer, mas difícil de executar… Arregaçar as mangas e educar.
Os filhos podem usar os eletrônicos, se souberem jogar bola e pular corda. Os filhos podem jantar eventualmente na TV se jantarem todos os dias sem, conversando e compartilhando momentos gostosos à mesa. Os filhos podem eventualmente comer guloseimas se se souberem que esta é a excessão, e não a regra.
Boa sorte para nós mães, pois iremos precisar 🙂

Bela flor rosa

 


Comentários :

Comente