Mãe de vários

 

AQUI MAYRA CONTA SUAS EXPERIÊNCIAS PESSOAIS COMO MÃE DE 4 FILHOS.

ESTA CATEGORIA CONTÉM TODOS OS POSTS DO SEU EXTINTO BLOG “MÃE DE TRÊS”, DA EDITORA ABRIL, QUE DEPOIS VIROU O “MÃE DE VÁRIOS”!

Arquivos da categoria: Blog mãe de vários

Como ser uma boa mãe?

Por: Mayra A.

Toda mãe sente o tal do amor incondicional. Simplesmente por isso nenhuma mãe deveria ser julgada… Estamos sempre tentando fazer o melhor para nossos filhos, certo? Será?
Quando nasce um filho nasce uma mãe, e com ela as dúvidas e a culpa. Será que sou boa o suficiente?
Primeiramente quero dizer que ser mãe foi a melhor coisa que já aconteceu comigo, tanto que quis repetir outras 3 vezes. Mas cá entre nós, quando cantamos o primeiro parabéns para o nosso filho, estamos, lá no fundo, cantando parabéns para nós mesmas por termos sobrevivido a esta avalanche-terremoto-tsunami que passou por nós no ano que se passou. Será que fui só eu que pensei isso?
Hoje, depois de 4 filhos, confesso que olho para as grávidas de primeira viagem com uma certa compaixão. Penso: ela não tem I-D-É-I-A do que vai acontecer. Para o bem e para o mal. Ela nunca mais vai desligar o celular e ao mesmo tempo nunca mais será a mesma depois que ver a apenas ver pela primeira vez, por um breve segundo, a carinha linda do seu bebê.
Os melhores momentos que tenho hoje, são aqueles que incluem a família toda. Me sinto flutuando de felicidade nos momentos diários em que estamos todos juntos. Parece que o mundo pára de girar e tudo parece fazer sentido.
Ao mesmo tempo, para ser uma boa mãe sinto que tenho que estar O TEMPO TODO REMANDO CONTRA A MARÉ. Cansa muito, muito, muito, muito mesmo. Ser uma mãe mais ou menos seria muito mais fácil. Para ser uma mãe mais ou menos, eu não precisaria nem levantar e também não teria que argumentar ou contrariar os meus filhos. E eles argumentam, viu? O Pedro, meu mais velho de 9 anos, leva 15 minutos para se convencer de qualquer mísera coisa.
Hoje em dia acho que temos alguns desafios a mais: o consumismo excessivo e a tecnologia amplamente disponível, que é um vício até para nós. Como ensinar nossos filhos a usar o que a geração oferece, sem excessos?
O meu objetivo com este texto é compartilhar e tentar incentivar as mães a percorrer o caminho mais difícil. Não precisa ser radical, é só educar. Simples de dizer, mas difícil de executar… Arregaçar as mangas e educar.
Os filhos podem usar os eletrônicos, se souberem jogar bola e pular corda. Os filhos podem jantar eventualmente na TV se jantarem todos os dias sem, conversando e compartilhando momentos gostosos à mesa. Os filhos podem eventualmente comer guloseimas se se souberem que esta é a excessão, e não a regra.
Boa sorte para nós mães, pois iremos precisar 🙂

Bela flor rosa

 


Comentários :

Comente

Retrospectiva de 2013

Por: Mayra A.

Este ano foi muiiiiito importante para mim… A Dedinho de Moça nasceu!!!
Screen Shot 2013-12-04 at 17.02.13

Depois de 5 anos ao lado da Pati na Dedo de Moça, da publicação do nosso livro “O que fazer para meu filho comer bem?” e da minha participação no reality show “Meu filho não come”, no Bem Estar, TV Globo, eu não pude resistir e me rendi à minha verdadeira vocação infantil!
Para quem não sabe sou mãe de 4 dedinhos: Pedro, Julia, Francisco e Felipe (o caçulina também nasceu este ano!).
A Dedinho de Moça tem apenas alguns meses de vida e tantos projetos grandiosos para 2014. Continuem por aqui, vocês não perdem por esperar!
Obrigada a todos que me acompanham, estou verdadeiramente e incrivelmente feliz 🙂
Um lindo final de ano para todos nós!

 


Comentários :3

Comente

Parto do Felipe

Por: Mayra A.

Este post sai com algumas semanas de atraso, mas com a mesma emoção… Lá vai!

Não importa se a gente já é mãe de 3, no último mês de gravidez a ansiedade vem com tudo e só queremos que chegue a hora do parto. Eu ficava cantarolando aquela musiquinha do Palavra Cantada: ¨Só quero ver o meu nenê, não quero saber, não quero entender, só quero ver…¨ A curiosidade em ver a carinha do meu filho era o sentimento que me acompanhava o tempo todo.

Quando eu estava com 39 semanas fui na minha médica e já estava com um pouquinho de nada de dilatação, mas esperamos até 40 semanas novamente (os outros 3 passaram da data também!) para induzir o parto.

Eu tinha que chegar na maternidade no dia 23/05/13 as 7:30h. Acordei bem cedinho e estava planejando sair de casa quietinha para não acordar as crianças. Eles, especialmente este dia, acordaram cedíssimo, sentindo a movimentação, e tomaram café com a gente. Tenho uma foto bem gostosa deste momento, todos sabiam que eu estava finalmente saindo para ter o Felipe!

Chegando lá na maternidade começamos os procedimentos de indução (ocitocina na veia, aos pouquinhos) e era um tal de andar pra lá e pra cá, sentar na bola, levantar da bola… As contrações não estavam muito convincentes…

Depois das 12h a coisa começou a ficar interessante e eu pedi para deitar. O André saiu para comer alguma coisa e quando ele voltou eu já estava anestesiada. Não tem nada mais anti anatômico do que dobrar daquele jeito com uma barriga de 9 meses e contrações de parto!

Aliás, meu marido é um capítulo a parte. Ele fica tão nervoso que fica assistindo filmes engraçados no ipad, ou dorme, ou sai para dar uma volta. Cada um arruma o seu jeito de relaxar e desta vez ele se superou e ficou querendo me mostrar um vídeo do Porta dos Fundos na hora das contrações medonhas… Eu queria gritar: “O NEGÓCIO AGORA É NA PORTA DA FRENTE, ENTENDEU???” haha

Comecei a dilatar mais e mais, e chegamos a 6 cm. Neste ponto a coisa empacou. Ai ai ai, de novo não… Pra quem quiser saber do que estou falando escrevi sobre o parto do Francisco aqui e aqui. Bom, já vi este filme. Pra quem não quer partir para a cesárea aos 30min da prorrogação o jeito é tirar a anestesia. Foi o que fizemos e eu comecei a fazer força expulsiva junto com as contrações, para ver se o Felipe ¨descia¨. Ficamos nesta por 1 hora e por volta das 16h o bichinho desceu de vez. A questão é que eu estava sem anestesia…

Nesta hora aconteceu o seguinte: eu gritei tanto que acordei todos os defuntos do velório do Einstein! Sem brincadeira, eu gritei mesmo. Minha mãe e minha sogra me contaram que naquele momento aprenderam alguns palavrões jamais escutados. Eu mordi a borda lateral da maca, acreditem se quiser… Nisso o anestesista pegou o cateter e me deu mais uma dose generosa de anestesia, mas como eu estava de lado mordendo a lateral da maca, a anestesia pegou de um lado e do outro bem mais ou menos… Resultado: fiquei com o lado esquerdo imobilizado, não conseguia nem levantar a mão e o lado direito ficou bem pouco anestesiado.

De qualquer maneira saímos correndo para a sala de parto (desta vez infelizmente aquele quartão LABOR não estava disponível e o parto foi no centro cirúrgico) e quase que não deu tempo do André e da minha mãe se trocarem.

Na hora de empurrar eu me garanto… Empurrei com bastante força e o Felipe nasceu lindo maravilhoso em 3 contrações.

Fiquei muito, mais muito feliz ao vê-lo saudável e lindo no meu colo.

Nossa família agora está completa! Amo muito!


Comentários :4

Comente

Terminei!

Por: Mayra A.

Terminei de fazer o sapatinho do Felipe…

sapatinho

Terminei também com todas as gravidezes… Terminei de trabalhar na Cozinha Dedo de Moça ontem… Terminei de arrumar a mala da maternidade… Terminei de ficar sem posição para dormir, de ficar sem beber (rsrs), terminei com o ácido fólico e a vitamina pré-natal, terminei (ou quase!) de desfilar com esta barriga linda…

Como era de se esperar nenhum de vocês quatro nunca quer nascer, portanto vamos induzir o parto esta semana… De novo!

Não vejo a hora de te conhecer Felipe, meu caçulinha eterno!!!

Terminei todos os preparativos para sua chegada, e olha só como ficou:

quadro

Nosso quadro agora está completo…

pedro

Tem foto da barriga do Pedro… Nossa primeira barriga lá em NY!

julia

Tem foto da barriga da Julia, e o Pedro nos ajudando a pintar!

francisco

Tem foto da barriga do Chico, e o Pedro e a Julia pintando o 7!

felipe

Tem foto da barriga do Felipe, e os 3 pintando a barriga da mamãe de todas as cores!

Pedimos este último bebê na festa de 10 anos de casados do papai e da mamãe, todos juntos, com todas aquelas mensagens penduradas dos nossos amigos mais queridos e ele agora está quase chegando!

pq

Olha só como está o nosso banco da família, com o Felipe já no meu colo, ficou COMPLETO!

nos6

E o quartinho:

quarto

4isaparty

A festa está prestes a começar!

2duplinhas

Nossas duas duplinhas de Tico e Teco: Pedro e Julia + Chico e Felipe!

Amo vocês todos, ansiosa para ir para a maternidade pela última vez!!!

bemvindo


Comentários :4

Comente

O que aprendi com a Rosely Sayão sobre educação!

Por: Mayra A.

Este mês de abril tive o privilégio de participar de um programa de 4 aulas sobre educação organizado pela minha querida coach Alê Sanchez, da You in Action com a ilustre Rosely Sayão como convidada. Nem pisquei. Foram 4 encontros de quase 3 horas e muita coisa para pensar.

Vou colocar aqui apenas alguns tópicos, que falaram diretamente comigo. Tenho certeza que outras participantes absorveram de outra forma, cada uma do seu jeitinho.

1) Mudança no conceito do que é família:

Até 1960 tínhamos pais mandões e filhos obedientes, casamento “até que a morte os separe” como padrão, o centro da família era o casal, família aberta aos ramos familiares, as pessoas tinham certezas, o mundo era homogêneo. Os filhos eram educados para tomarem conta de suas vidas.

Hoje temos filhos mandões e pais obedientes, casamento “até que a vida os separe e o centro da família passa a ser os filhos, o núcleo familiar está mais reduzido à pequena família e as pessoas não tem mais certeza de nada, o mundo passa a ser heterogêneo, não há referências. Os filhos hoje são educados para o caminho escolar, porém isso é um equívoco, pois não sabemos mais como será o mercado de trabalho deles.

Devemos repensar o núcleo familiar reduzido, pois a família extendida é legal para ensinar aos filhos diferentes jeitos de amar.

O conceito de amor líquido está ligado a esta nova realidade, no qual os pais amam os filhos desesperadamente, pois enxergam esta como a única relação eterna. Muito cuidado com o peso que colocamos nas crianças, cada vez que desesperadamente dizemos amá-los esperando uma resposta recíproca. Esta relação não permite o ódio aparente.

2) Relação com babás: as babás não precisam educar seu filho, elas apenas repetem um comportamento que você instruiu. Babá administra a rotina, educação é pensarmos o que queremos para eles, não o que fazemos no dia a dia.

3) Equilíbrio na relação pais-filhos: considerar o filho como um sujeito, não fazer por eles. Nunca considerar seu filho como café com leite. Ex: quando jogamos um jogo com eles não precisamos deixar eles ganharem. Eles tem que ver alguma vantagem em ser adulto.

4) No pain no gain: evitar deixar apenas a parte boa para nossos filhos, pois se isso acontecer eles nunca vão desejar crescer. Ex: numa festinha infantil sempre levá-los, sem que eles tenham que pedir, pensar em qual roupa usar, pensar em comprar ou embrulhar um presente, eles tem que vivenciar todas as partes chatas que estão ligadas à uma coisa legal.

5) Especialistas: hoje há uma tendência em derivar a maternidade para especialistas: escola, psicólogo, babás… Maternidade não se deriva.

6) Culpa: a geração de mães de 60 tiveram filhos sem culpa nenhuma. Hoje temos culpa pois não conseguimos tirar nossos filhos do centro da família. Precisamos aprender a suportar a frustração de nossos filhos sem culpa. O papel deles é reclamar, bater o pé, e o nosso é ficarmos firmes. Eles não vão achar tudo que dissermos legal, mas E DAÍ? “Vamos parar de querer que eles gostem, vamos apenas esperar que eles façam”

Rosely deu um exemplo muito bom, que deixou seu filho sair do piano para fazer violão, quando ele era adolecente, pois imaginou que estaria respeitando sua individualidade. Depois quando adulto, ele disse a ela: “Não sei porque você deixou eu sair do piano, se eu tivesse continuado…” Ou seja, não importa o que a mãe faça sempre estará errado, portanto não se culpe!

7) Como dar atenção aos seu filho: não precisa ser brincando com ele no chão. Pode ser indiretamente, preparando seu lanche, arrumando seu armário…  Ele vai notar.

8) “O que eu faço agora, mãe?”- Eles precisam aprender a inventar as próprias brincadeiras. Quando eles fazem esta pergunta eles querem que ajudemos-os a chegar na resposta sozinhos, eles não querem uma resposta rápida e eficiente nossa. A melhor resposta é uma outra pergunta: “Vamos pensar filho… O que você poderia brincar aqui desta estante?” Se enchermos as crianças de conteúdo, aulas particulares e programas o tempo todos estamos sabotando a criatividade deles. No momento de ócio a criança se descobre.

9) Elogio x reconhecimento: reconhecer o esforço é muito melhor do que elogiar. Criança que é elogiada gratuitamente não se arisca, não se frustra e os pais acabam perdendo a credibilidade.

10) Embates: sem embates as crianças não crescem. O melhor lugar para treinar é em casa. Temos que ter muita paciência.

11) Conversar com seu filho: ouvir, ouvir, ouvir, dar oportunidade para ele não responder se não quiser. Isso é uma conversa, diferente de um interrogatório interesseiro.

12) Limites: as crianças de hoje tem limites demais, quem não tem limites são os pais, que não abdicam de nada pelos filhos. Ex: levar um bebê num restaurante.

13) Excesso de proteção: o ideal é darmos um empurrãozinho e deixar que nossos filhos aprendam a avaliar os riscos. Os adolecentes de hoje não sabem avaliar os riscos pois sempre foram muito protegidos e não construíram este conhecimento.

14) Consumo: estamos vivendo a sociedade do consumo e do espetáculo, temos que ter e mostrar, o que nos torna um pouco idiotas. Não ceder as pressões do grupo, valorizar a individualidade. Ex: seu filho não precisa ir para a Disney porque os outros foram. Ele tem que entender que as pessoas viajam para lugares diferentes. Se não ensinarmos nossos filhos desde pequenos a resistir às pressões do grupo, quando eles forem adolecentes não terão forças para resistir a um grupo que lhes oferecer drogas, por exemplo.

15) Escolhas: para ensinar nossos filhos a escolher precisamos limitar o leque de possibilidades. Parece contraditório mas não é. Quando perguntamos se a criança quer ir ao clube ou ao restaurante ela vai ficar chateada por ter que abrir mão de uma das coisas, ou seja, ela sofre mais por perder a chance de fazer uma das duas coisas do que fica feliz por ter escolhido a outra. Na questão das escolhas menos é mais, quando tenho muita opção me sinto mais pressionado, quando tenho menos opção acabo tendo maior liberdade de escolha. Escolher é renunciar o que é muito difícil para uma criança. Eles não precisam passar por isso ainda.

Uma outra ajuda que podemos dar para ensinar nossos filhos a escolher é evitar o arrependimento antecipado. Não tem problema escolher errado desde que eles vivenciem o processo de escolha. O que não pode é desistir antes de vivenciar a escolha. Desta maneira ensinamos que escolher é um compromisso, que traz responsabilidade. Ex: um adolecente que entrou na faculdade e dois meses depois já quer trocar de curso.

Temos que bancar as escolhas para eles, até por volta dos 12-13 anos, quando já conseguem pensar melhor na própria vida.

16) Escola: a escola não lida com seu filho, ela lida com o aluno dela. Quanto menos você falar sobre a vida do seu filho no ambiente da sua casa melhor. O problema da escola deve ser resolvido na escola e o problema da família deve ser resolvido em casa.

17) Pertencer x participar: pertencer a um grupo é muito pesado, enquanto participar é leve, pois não precisamos nos moldar para estar dentro.

Precisamos ensinar a nossos filhos que eles não precisam estar inseridos no “enxame”. No enxame quando uma abelha se perde ela morre. A função de um enxame é se proteger de um predador. Não há troca, não há identidade própria.Para evitar que nossos filhos vivam no enxame:

– dar oportunidade para que nossos filhos se conheçam

– ter um projeto de vida (sucesso ligado a algo maior como por exemplo ajudar as pessoas, contribuir, ver o outro)

– ter raízes com o passado (trazer a tona tradições familiares, receitas de família, etc) e objetivos no futuro, desta maneira evitando que vivam no presente eterno

18) Competir x cooperar: o mais importante é ser o melhor que posso fazer versus o primeiro colocado. As escolas dão um caráter muito competitivo a tudo que fazem.

19) Perfeição: é importante que nossos filhos saibam que não somos perfeitos. Desta maneira eles ficam liberados para não serem perfeitos também, o que humaniza a relação pai-filho e faz com que eles consigam suprir suas próprias expectativas.

20) Presente x mimo: O melhor presente é algo que a gente faça por eles. Quando as crianças pedem algo de aniversário é uma encomenda, não um presente.

21) Peregrino x turista

Peregrino: quando faz uma viagem, presta atenção no trajeto. Busca algo que traga um sentido maior. Se insere no contexto, conversa com locais. Busca troca. Encontra alegria.

Turista: tem expectativas, nunca está satisfeito. Termina uma viagem pensando na próxima. O trajeto da viagem é uma perda de tempo, prefere ir de avião. Não tem interesse em se inserir no contexto, filma e tira fotos o tempo todo, vê tudo através de uma lente, sem vivenciar a viagem. Encontra prazer efêmero.

Ballman diz que hoje somos mais turistas do que peregrinos. Como pais não ouvimos o que os filhos tem para nos dizer, apenas o que nos interessa. Que filhos queremos deixar para o mundo: turistas ou peregrinos?

22) Castigo x sanção

Ex: meu filho foi mal na prova o castigo seria ficar uma semana sem ipad e a sanção seria ficar uma semana estudando mais para recuperar. Sanção é educativo, castigo é birra de pai. Usamos castigo quando perdemos a autoridade moral.

Uma criança de até 6 anos tem que ser impedida de desobedecer pois não vai entender uma sanção.Os adultos tem a capacidade de fazer antecipações, portanto se uma criança de até 6 anos desobedecer, a responsabilidade é do adulto.

Crianças com mais de 6 anos tem que ser sancionadas e não castigadas.

23) Birra dos filhos

É um processo que se retroalimenta, os filhos depois de 5 minutos de birra nem lembram mais o motivo da birra. Temos que fazer a criança sair da birra. Não podemos abandonar a criança na birra, pois ela não sabe sair.

24) Enfrentamento

Quando uma criança te enfrenta e você cai, significa que você perdeu a autoridade. Seja inteligente. Seja o adulto da relação.

25) Ritalina: hoje estima-se que existe 90% de diagnósticos errados de deficit de atenção e estas crianças estão sendo medicadas com ritalina, que causa dependência química e faz com que as crianças fiquem dopadas. Muito conveniente para as escolas, não é mesmo? Adolecentes estão traficando ritalina nas melhores escolas, para passar a noite em claro estudando e ficarem mais focados na semana de provas. Cuidado.

26) Mentira: até 6 anos mentira pode se confundir com imaginação.

27) Beijo: as crianças precisam dizer oi para quem chega e quem vai, mas não devem ser obrigadas a beijar e abraçar. O mesmo em relação a beijar e abraçar os pais.

Quando fomos perguntadas, no final da última sessão, sobre uma frase que para nós define a maternidade eu me adiantei e disse: “Para mim as mães querem muito acertar, mas não devem esquecer de curtir o papel de mãe!”

É isso, quem sabe um dia eu consiga digerir!

Beijo,

PS: Durante o curso aconteceu uma coisa bem engraçada. Estávamos fazendo terapia de família a cada 15 dias por causa das constantes brigas entre as crianças. Como os insights do curso cheguei na última sessão e perguntei para meus filhos: “O que vocês acham que poderíamos mudar no comportamento da mamãe e do papai para evitar estas brigas”? Meu mais velho (8) respondeu: “O melhor seria vocês deixarem a gente resolver sozinho!” Me senti uma tonta, afinal o que eu estava fazendo lá na terapia de família mesmo? Rsrs


Comentários :8

Comente

Youtube – o risco

Por: Mayra A.

Este final de semana o Pedro (8 anos) convidou 3 amiguinhos para a festa do pijama.

Foi tudo como deveria ser: uma bagunça deliciosa! Guerra de almofadas, conversinhas até tarde, etc.

No dia seguinte os amigos foram embora e ele, sempre sincero, veio com a seguinte bomba: “Mamãe, a gente procurou umas coisas pornográficas no youtube… A gente digitou MULHER PELADA e também COMO FAZER SEXO…”

Eu fiquei passada, sem saber o que responder. Cheguei em casa e digitei estas duas coisas no youtube e quase caí para trás.

Resolvi então saber como restringir os conteúdos de busca no youtube e cheguei a uma super conclusão:

1) No ipad, iphone e etc, precisamos excluir o aplicativo do youtube, para que a criança acesse o youtube apenas pelo navegador safari. Dá para excluir ou então em configurações tem um ítem ativar restrições e aí simplesmente podemos escolher que a criança não pode acessar o youtube pelo app.

2) No navegador (safari, firefox, etc) tem uma opção, GRAÇAS A DEUS, de limitar o conteúdo pesquisado, no final da página do youtube, olhem abaixo.

Com isso ao digital as duas coisas que eles procuraram, não aparece nada pornográfico. Acho legal compartilharmos esta dica, não?

Beijo,

Screen Shot 2013-04-14 at 09.15.42


Comentários :14

Comente

Duas cartas para o Francisco – do papai

Por: Mayra A.

1a carta: 26 de janeiro de 2011

Carta para meu filho Francisco Abbondanza Abucham que vai nascer amanha .

Querido e amado filho Francisco,

Resolvi escrever esta mensagem para que você pudesse entender um pouco mais sobre a sua chegada.  Já faziam alguns anos que eu e sua mãe conversávamos se teríamos ou não o terceiro filho. Apesar de eu ser o mais reticente, no verão de 2010 tive a certeza que precisávamos de você para completar e fazer nossa família ainda mais feliz.

Peguei sua mãe de surpresa, cheguei na Barra do Una no dia do meu 34 aniversario e falei para ela : “já sei o que quero de presente”, mais um filho !!! E você não imagina a felicidade dela com este pedido.

Curtimos e nos amamos muito pensando em te conceber.  “ Infelizmente” para o papai la por Abril já estávamos grávidos. Nossa terceira gravidez, uma gravidez de pais mais experientes, menos ansiosos mas amando o mesmo tanto cada momento .

Seus irmãos Pedro e Julia , seus Tios e Avos curtiram muito toda a gravidez. Papai e mamãe viajaram com você na Barriga para Disney, para o Chile, para Londres e muitas vezes para Barra do Una também ( alias acho que você foi feito la kkkk ).

Fizemos um cha de bebe muito divertido,  arrumamos seu quartinho, sua roupinhas e tudo mais para te receber amanha com muito carinho e amor.

Sua mãe esta absolutamente linda nesta terceira gravidez, ela literalmente brilha e aproveita demais cada momento da gravidez, tenho certeza que amanha mesmo ela sentira uma verdadeira saudades de te carregar na barriga !!!

Acabo de escrever esta carta passada as 10hrs da noite para lhe dizer que estou um pouquinho nervoso mas louco para te ver e começar a entregar o meu amor incondicional como fiz com seus irmãos !!

Seja muito bem vindo a nossa família  !!!!

Com muito, muito amor !!!

Papai Andre

 

2a carta: Sao Paulo, 26 de janeiro de 2013.

Querido e amado filho Francisco,

Confesso que achei a carta acima sem querer, estava terminando de organizar as coisas para ir para minha ultima temporada em Harvard e sem querer achei  a mesma.

Fiquei inspirado para escrever, exatos 2 anos depois, esta mensagem para você.

É difícil conseguir explicar a alegria que você, nosso Chico traz a nossa família!!

Seu sorriso, seu olhar, sua risada, seu carinho, sua voz e sua companhia fazem verdadeiramente que o coração de um Pai compreenda todo amor possível por um filho.

Com certeza, este amor por você nestes dois primeiros anos, nos inspirou a querer ter o Felipe!

Dia 28 de janeiro será seu niver e o papai não estará aqui presente fisicamente mas pode ter certeza que estarei tendo um dia muito feliz lá em Boston pois é uma alegria pensar e ter saudades de você!

Parabéns meu filho, muita saúde e felicidades. Hoje e sempre.

Do seu pai que te ama !!!


Comentários :6

Comente

“Nesting”

Por: Mayra A.

Um dos fenômenos mundialmente conhecidos em relação à gravidez é este: “preparar o ninho”.

Dizem que quando a mulher está grávida começa a fazer todo tipo de arrumação na casa.

Meu marido me obrigou a escrever este post (rs), segundo ele só falta trocar as crianças de quarto (o que ainda será feito antes do Felipe nascer!).

Pois é: já arrumei todas as caixas do depósito (a parte boa é que doamos muuuita coisa), os meus armários, o das crianças e até fiz a maior reviravolta no esquema de ajuda aqui em casa com as minhas colaboradoradoras.

A chegada de um novo filho faz a gente repensar tudo, tudo mesmo, caprichando ao máximo para encaixar cada coisa em seu lugar, e abrir espaço para aquele um milhão de coisinhas (para não dizer tralhinhas) novas que vem junto com o amado e esperado bebê.

Tudo isso para garantir que você Felipe, chegue feliz e seja bem vindo, ao melhor ambiente que eu pude criar. Freud explica?


Comentários :

Comente

Já estou sentindo o Felipe mexer!

Por: Mayra A.

Esta fase é uma delícia, acabei de completar 17 semanas e comecei a sentir o bebê mexer!

É assim: você está lá entretida com alguma coisa (normalmente uma criança) durante seu dia movimentado e sua barriga derrepente dá aquele “toquinho”… Neste segundo você se lembra que está grávida e pensa quantas mudanças estão acontecendo alí mesmo dentro de você.

São por essas e outras que jamais desejei ser homem. A sensação de ter seu filho crescendo dentro de você não dá para ser transmitida em palavras, em mímica, nem mesmo pelo tum-tum-tum do coraçãozinho que a gente ouve no ultrasom. É ter a melhor companhia por 9 meses, 24h/7 dias da semana.

É como se a natureza te preparasse para esta responsabilidade eterna, sem interrupção, que é ser mãe durante a vida inteira. Sim, por que mãe não sai de folga, como as babás, e mesmo quando está de férias sem os filhos, do outro lado do mundo, nunca conseguirá deixar o celular desligado.

Eu adoro deixar meus filhos com a minha mãe ou com a minha sogra, pois elas tem o mesmo hormônio-de-leoa-protetora que eu. Quando estão com elas acho que dá até para abrir uma excessão e desligar o celular… Aliás super recomendo 1 semana de férias por ano com o marido sem as crianças para a saúde de qualquer casamento. Férias é muito bom com eles mas também é demais sem eles.

Felipe, você que ainda está aí bem gostosinho na barriga da mamãe, topa ir comigo agora fazer uma naninha?

Você ainda está incluído em absolutamente todos os programas da mamãe, tá? 🙂


Comentários :

Comente